A Cor e a Forma de Deus

 In Momento de Reflexão

A ciência humana de maneira nenhuma nega a existência de Deus. Quando considero quantas e quão maravilhosas coisas o homem compreende, pesquisa e consegue realizar, então reconheço claramente que o espírito humano é obra de Deus, e a mais notável.

Galileu Galilei

Tudo que está sobre a terra condensa-se num único grito para afirmar a existência de Deus.

Victor Hugo

 

A impossibilidade de provar que Deus não existe  é a melhor prova de sua existência.

Jean de la Bruyère

           

Existe um Universo.  Impossível de se imaginar ou de se conhecer.  O ser humano surgiu de uma evolução lenta, através de modificações genéticas, ao longo de milhares de anos.  Surgiu de uma força impulsionadora,  disto não pode restar a mínima dúvida.

A evolução foi se processando de forma lenta e gradual.  A inteligência foi se aprimorando; a tal ponto, que o tamanho do cérebro do ser humano é bem maior do que o dos outros seres vivos, até mesmo dos primatas, os parentes mais próximos.

Assim, você pode deduzir, caro leitor, que fomos presenteados com uma capacidade maior de raciocínio e de descobertas, de correlações e assim por diante.  À medida que o homem evoluía e se fixava ao solo, depois de ser nômade por muitos milhares de anos, suas indagações aumentavam porque não conseguia compreender os fenômenos que se apresentavam a seus olhos perplexos.  Eram os fenômenos da Natureza. Aos poucos, as dúvidas foram evoluindo para raciocínios mais complexos, tais como: se ele não era responsável por tudo aquilo que via diante de si, quem era?

As civilizações começaram a se estruturar tendo como pano de fundo o temor a um ser que seria responsável por toda a criação; que geria tudo o que existia, o céu, a terra, os fenômenos naturais.

Como saber que eram e de onde vinham essas forças poderosas que faziam tudo mudar? Catástrofes acontecerem?  O medo se apossou dos seres.  Como fariam para saber o que aquela força incomensurável e indomável queria? E surgiram os sacerdotes. Eram seres especiais, que tinham um contato direto com aquele ser incompreensível.  E seu poder foi crescendo.

As sociedades tiveram contato umas com as outras.  Cada uma tinha seu território,  seus hábitos e,  é claro,  o ser criador deveria estar de acordo com aquela cultura, com os hábitos.  Nada mais natural que esta potência fosse semelhante aos seres daquele determinado grupo cultural,  para ser compreendido e respeitado pela comunidade.

A expansão marítima teve início, as sociedades começaram a se mesclar e assim aconteceu com os deuses de cada uma.  Muitas são conhecidíssimas, como a grega, a romana e, posteriormente, a católica.

A partir de determinado momento, as civilizações se dividiram na questão da expansão, levando em conta suas formas de sociedade e seus interesses.  O mesmo aconteceu com a força que sabiam que regia seu universo social; e as forças da Natureza foram cultuadas; seres vindos de outras dimensões ou a simplista visão antropomórfica do Ser Maior.  Este é o caso da sociedade ocidental.

É fácil perceber que as formas e cores Daquele que tudo geria sofria modificações.  Um aspecto, entretanto, se manteve em muitas sociedades: o número 3.  E isto se torna fácil de compreender: se existe uma força que rege a criação, ela é representada pelos princípio criadores:  o masculino e o feminino.  E mais um, que dava vida, compreensão e discernimento aos outros dois. Sem esses princípios, não há vida.  A razão do número 3, aplicado a quase todas as religiões ou filosofias religiosas vem daí.  A única a aceitar e aplicar a Trindade e que fugiu a esta regra, foi a igreja católica, que aboliu o princípio feminino, por muitas outras razões que as religiosas.

Mas e qual é a cor de Deus?  Qual é Sua forma? Caro amigo leitor, não há cor ou forma específica. A razão mais óbvia é que não podemos saber porque Ele jamais foi visto e nem poderia ser, já que é pura energia criadora.

Cada sociedade, filosofia ou religião lhe dará a cor e a forma que desejar, já que Sua força independe de coisas tão menores. Nós, seres humanos imperfeitos, não somos capazes de perceber Sua presença em cada gota de chuva que cai, em cada mínimo ser vivo que se move. Que somos para Deus, senão minúsculas partículas? E nem ideia temos do tamanho do Universo?

Não detemos A Verdade.  Não nos foi dado tê-la.  Ela é prerrogativa de quem tem o poder criador. E este não é nosso, ínfimas moléculas.  Sejamos sábios.  Vamos nos abraçar em torno de Deus, pura energia, imensa, sem forma ou cor.  E, abraçados, participando da fonte viva que Ele representa, será que conseguiremos alcançar que todos temos Deus em nós e que, irmanados,  somos muito mais em Amor, em Fé e em Luz?

Fale com Monique S.

Agende uma consulta ;)